quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

"O JEITO PAITER SURUÍ DE ENTENDER E COMPREENDER O MUNDO"

“A floresta é importante para os povos indígenas porque é o espaço de sobrevivência de onde as famílias tiram seu sustento, recebem energia, para  cultuar seus rituais e crenças. É importante porque foi criada por Deus, tanto os seres vegetais como os animais. Deus foi classificando as coisas e formando os vegetais e animais.


Foto: Gasodá Suruí/2015

Alguns animais como a anta, jabuti, gavião,urubu, dentre outros, eram gente há tempos atrás. Deus foi chamando estas pessoas e foi determinando que você seja um animal da floresta  com determinada função. O nambu, por exemplo, toda manhã vai assoviar e cantar como um relógio que indica o amanhecer. O nambu também é alimento e suas penas são utilizadas em artesanatos. Os indígenas Suruí antigos dizem que o ser (gente) tem uma relação harmônica com a floresta e devem ter respeito por esta, caso contrário, os espíritos castigam quem a maltrata.
Estes espíritos só aparecem para as pessoas que tem o coração de respeito,  que tem o dão e afinidade com a floresta e com toda sua biodiversidade que  esta possui. Quem não respeita a floresta corre o risco de não voltar porque o espírito “Lakapoy” e outros fazem a pessoa se perder. O espírito “Lakapoy" tem várias serpentes no corpo e carrapatos que pegam as pessoas e levam no topo de uma pedra que amolece e engole a pessoa até a altura do peito. A pessoa pede socorro, e logo aparece outro espírito “Lakapoy” que castiga ainda mais a pessoa. Por outro lado se a pessoa tem relação harmônica com a floresta, é beneficiada. Não é qualquer pessoa que tem comunicação com os espíritos da floresta. O pajé se comunica com os espíritos da floresta. 

Foto: Gasodá Suruí/2015


Autor: Gasodá Suruí - Turismólogo e Pesquisador  Indígena Paiter Suruí pertence do Clã Gãmeb, morador a aldeia Paiter Linha 09  da Terra Indígena Sete de Setembro em Cacoal -RO -Brasil. 













Nenhum comentário:

Postar um comentário