terça-feira, 5 de maio de 2009

TURISMO NA TERRA ÍNDIGENA SETE DE SETEMBRO: UMA ALTERNATIVA DE VALORIZAÇÃO DA CULTURA PAITER, CACOAL, RONDÔNIA-BRASIL.


Com este pensamento se propõe a analisar a potencialidade dos recursos naturais, culturais e históricos para o desenvolvimento de atividades de turismo na Terra Indígena Sete de Setembro, localizada próxima ao município de Cacoal, estado de Rondônia. Estas atividades serão contextualizadas a partir da geração de benefícios e impactos étnicos, econômicos, ambientais, sociais e, principalmente, culturais aos indígenas Paiter-Suruí. Pretende-se, ainda, analisar se o turismo pode ser constituir uma alternativa econômica complementar às atividades produtivas atuais dos indígenas Paiter Surui de Rondônia, embora os mesmos não tenham conhecimentos do que seja o turismo e de suas dimensões. Para se atingir os objetivos utilizaram-se pesquisa bibliográfica e nos Diagnóstico DATI-Diagnóstico Agro ambiental da Terra Indígena, DEAPTI-Diagnóstico Etnoambiental Participativo da Terra Indígena, PGTI-Plano de Gestão da Terra Indígena Sete de Setembro realizada pela Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé juntamente com a OMPIS-Organização Metareilá do Povo Indígena Surui. Baseou-se também em experiências de turismo indígenas já consolidadas tanto no Brasil quanto no Peru e Equador. Estes trabalhos realizados resultaram com vários projetos beneficentes ao povo Surui Paiter, como: Projeto de Reflorestamento de áreas degradada na reserva Sete de Setembro com plantas nativas de varias espécies, também Projeto de Valorização e Resgate a Cultura Paiter, realização de Festa Mapimãí, após quinze anos não realizados, também um outro fator importante, o surgimento e criação da logo marca Paiter que foi de suma importância para o fortalecimento e reconhecimento da cultura Paiter em nível nacional e internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário